quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Minha, casinha branca...



Eu tenho andado tão sozinho ultimamente

Que nem vejo a minha frente

Nada que me dê prazer

Sinto cada vez mais longe a felicidade

Vendo em minha mocidade

Tanto sonho perecer


Eu queria ter na vida simplesmente

Um lugar de mato verde

Pra plantar e pra colher

Ter uma casinha branca de varanda

Um quintal e uma janela

Para ver o sol nascer


Às vezes saio a caminhar pela cidade

À procura de amizades

Vou seguindo a multidão

Mas eu me retraio olhando em cada rosto

Cada um tem seu mistério

Seu sofrer, sua ilusão


Eu queria ter na vida simplesmente

Um lugar de mato verde

Pra plantar e pra colher

Ter uma casinha branca de varanda

Um quintal e uma janela

Para ver o sol nascer...

3 comentários:

Anônimo disse...

Fiz uma casinha branca lá no pé da serra pra nós dois morar! Ela fica na barranca do rio paraná! Fiz uma capela bem ao lado da janela pra nós dois rezar! Quando é dia de festa você veste seu vestido de algodão! Satisfeito vou levar você de braço dado atras da procissão! Uma flor de lado e meu chapéu na mão! Te amo!!!

Tite disse...

Tão pouco que nós sonhámos e tão difícil é lá chegar.

Adorei!

Um grande chuac de saudade querida Carla

José Bento disse...

Olá, tudo bem? Parabéns pelo seu trabalho. Estou me cadastrando no seu blog e te convido a participarar também do meu VIDA VIVA POEMAS www.jbcontatos2.blogspot.com

Ts espero lá, ok? Um abraço!