segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

CONGELADO BOTÃO




Congelado botão de rosa, triste,
de algum Amor que talvez não mais existe
por esquecido em meio à tempestade,
no frio da incerteza ou da maldade...
É um botão largado pela estrada,
de alguma flor por certo condenada
ao desamor e ao esquecimento...
Acolherei esse botão ao peito
e dele cuidarei bem ao meu jeito,
tirando-o do abandono e da tristeza.
Ressurgirá do botão toda a beleza
de uma flor abrindo-se aos encantos.
Dela não quero mais sentir-lhe os prantos.
Que o botão congelado seja flor
ao mundo devolvida pelo Amor.


Rio, 9/jan/2009
Jo®ge das Neves

2 comentários:

Jorge das Neves disse...

KARLA,
Pela gentil transcrição do poema
aqui modifico (eu mesmo)
o último o final da poesia e escrevo:
........KARLA,
AO MUNDO VEIO ENVOLVIDA DE AMOR!

Parabéns pela concepção
do seu belo espaço
BRILHO DA VIDA.

Carla Fabiane disse...

"GRATIDÃO POETA"

MEUS SENTIMENTOS...
PELO SILÊNCIO FOIRAM ROUBADOS.
O "SR" VENTO TENTOU APAGAR DA MINHA MEMÓRIA; UMA ALMA POÉTICA...
FIQUEI ANÉSTESIADA POR PRIMAVERAS INCONTÁVEIS...
ACONTECEU...
UMA FORÇA AMIGA,CHAMADA "VOCÊ".
ME DESPERTOU DO SONO,ME DEVOLVENDO O PODER DE UM PENSAMENTO CERTO...
MINHA REALIDADE ATUAL TEM POR APELIDO "OBRIGADA",MAIS SEU NOME VERDADEIRO É GRATIDÃO...
SUA ENÉRGIA CRIATIVA, ACORDOU UM CORAÇÃO QUE ACREDITA EM MÍLAGRES...
GRATIDÃO

CARLA FABIANE