segunda-feira, 28 de julho de 2008

MUITAS PROMESSAS...

Não sei quantos livros há no mercado ensinando a arte de bem viver, a arte de ser feliz. São regras, auto-sugestões onde as pessoas buscam encontrar saídas e a afirmação do eu.
Às vezes essas lições funcionam durante algum tempo, mas é preciso muito mais que ter força de vontade para se conseguir sair de uma situação ou mudar alguma coisa na vida.

A força de vontade tem que estar diretamente ligada à motivação, sem a qual a pessoa não vai encontrar as forças necessárias para prosseguir. E não falo aqui de miragens, mas de coisas reais às quais ela pode se apegar.

Se você quer mudar algo na sua vida, procure então seu real objetivo, sua tábua de salvação que não vai deixar você afundar. Segure-se a ela firmemente e saiba que não há mudanças sem sacrifícios, mas que esses, uma vez ultrapassados, nos permitem ver lindos amanheceres cheios de promessas.

Eu diria que funciona como uma troca. Você deixa uma coisa e pega a outra, assim não vai ter a sensação de estar fazendo algo por nada.

Olhe a sua volta, entre os seus e olhe-se a sim mesmo. Tente encontrar as razões, significantes ou não, pelas quais vale a pena dar um passo em outro caminho. Abraçado a essas razões ou uma só, quem sabe, prossiga e prometa-se a si mesmo de não deixar a peteca cair.

Geralmente os passos mais difíceis são os primeiros, mas uma vez conseguidos, os outros começarão a vir quase sozinhos.

E se por acaso você se sentir fragilizado e achar que não vai conseguir, olhe direitinho que vai perceber as mãos amorosas de Cristo te sustentando. Ele também quer a sua felicidade, tanto ou até mais que você.

Saibam que amo quando me escrevem, que isso me motiva a continuar escrevendo e que não gostaria que parassem nunca. Vocês são importantes pra mim bem mais do que pensam!

2 comentários:

Carla Fabiane disse...

A hora do balanço anual está chegando. De todos os nossos objetivos do
início do ano, provavelmente só uma pequena parte foi realizada. Outras
coisas às quais não tínhamos pensado chegaram e tomaram forma. O que sobrou do que planejamos, foi para a lixeirinha do esquecimento, como se não tivessem sido importantes no momento em que foram construídos. Fazemos, talvez, promessas demais ou mais do que na realidade somos capazes de realizar.
O sonho nos aponta horizontes e a promessa é um barquinho que pode nos conduzir a ele. A promessa é então o caminho do objetivo, sem que ela tenha necessidade de existir para que possamos atingi-lo. Se não podemos navegar, podemos talvez voar e se voar não for possível, poderemos ainda assim chegar, com nossos pés, nossos passos firmes e cabeça dirigida na boa direção. O que quero dizer é que independente do que prometemos, podemos chegar a algum lugar se nos dispomos a isso.
Seja fiel aos seus objetivos, às pessoas que te cercam. Se tiver que
prometer, remova céu e terra, mas cumpra a sua palavra. Deus aprecia
corações sinceros e reconhece esforços. E recompensa, com o coração cheio de alegria.

Carla Fabiane disse...

Passamos o ano inteiro nos prometendo coisas. E aos outros também. Mas é na última semana do ano, provavelmente por causa do balanço existencial, que mais pensamos sobre o assunto. Tem gente que faz até uma lista. E o que são promessas se não expectativas que despertamos no coração? São propósitos que colocamos nas nossas vidas e nas daqueles que convivem conosco.
É fácil prometer coisas. Difícil mesmo é cumprir tudo o que falamos ou pensamos. Acordamos com nossas promessas sonhos que, se não atingidos, vão se desfazer da mesma forma que a confiança que depositam em nós.
Antes de prometer algo a alguém ou a si, pense: a portinha que se abre com uma promessa fica sempre aberta e só se fecha quando a mesma se cumpre. E se ela foi feita assim de uma maneira qualquer, haverá sempre o vazio de algo não realizado na vida nossa e na da outra pessoa.
Evite então as promessas se você não sabe controlar o dia de amanhã com todas as surpresas que ele pode trazer.
Não prometa amor eterno: ame, ame e ame eternamente! Ame tanto quanto seu coração suportar!
Não prometa felicidade: lute para transformar todos os momentos dos que te encontram em instantes felizes.
E se por acaso a promessa for inevitável, que caia o mundo, mas cumpra o prometido!
A fidelidade aos nossos princípios e aos nossos objetivos é fundamental a nós mesmos, ela nos enraíza, nos dá coragem e aumenta nossa auto-confiança.
E lembre-se:
Muitas das coisas que cumprimos são promessas que não nos fazemos. Então, o importante mesmo não é ficar abrindo portas da esperança de um lado e outro, mas viver de maneira tal que, a cada fim de dia, possamos repousar a cabeça com a consciência de que, seja como for, nós tenhamos dado o melhor de nós.